Júlio Delgado exige plano de retirada de brasileiros na Ucrânia

Júlio Delgado exige plano de retirada de brasileiros na Ucrânia

O deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG) subscreve um requerimento, endereçado ao Ministério das Relações Exteriores, que pede providências imediatas do governo federal para atender aos brasileiros que estão na Ucrânia. A guerra, iniciada no fim de fevereiro, após bombardeios promovidos pela Rússia, sufoca diversas cidades do país do Leste Europeu. A estimativa é que haja mais de 500 brasileiros vivendo no local, embora muitos já tenham conseguido sair.

No requerimento, Júlio Delgado, e outros parlamentares do PSB, solicitaram:

▪️que o Ministério das Relações Exteriores busque ativamente o contato com todos os brasileiros na ucrânia, para saber a situação de cada um e como viabilizar sua proteção e retorno ao
Brasil;

▪️ que sejam enviados esforços diplomáticos, por parte do Brasil, para que seja alcançado um cessar-fogo que assegure a completa evacuação de civis que estejam em território ucraniano, valendo-se a diplomacia brasileira, para tanto, de sua condição de membro rotativo do Conselho de Segurança da ONU e do recente contato entre o Presidente brasileiro e o Presidente da Federação Russa;

▪️que o Brasil busque a cooperação com Estados europeus para que brasileiros sejam incluídos em operações europeias de resgate e evacuação por via terrestre, como as planejadas pela Itália, e apoie diretamente brasileiros que já tenham conseguido sair do território ucraniano, em especial por territórios vizinhos como os da Polônia, da Eslováquia, da Hungria, Romênia e da Moldávia, assegurando a esses cidadãos o retorno imediato ou alocação temporária em condições dignas;

▪ que todas as ações voltadas à proteção e ao retorno dos brasileiros que estão no território ucraniano sejam conduzidas com transparência e total publicidade, a fim de que os familiares dos cidadãos envolvidos e todos os brasileiros tomem conhecimento delas e se tranquilizem em relação à situação dos nacionais;

▪️ que as futuras manifestações e ações do Ministério das Relações Exteriores no que toca à crise na Ucrânia sejam guiadas pelo teor do art. 4º da Constituição da República, em especial os princípios da prevalência dos direitos humanos, da defesa da paz e da solução pacífica dos conflitos.

“Entendemos que, com a adoção dessas providências, o Brasil será capaz de apoiar os seus cerca de 500 cidadãos que se encontram na Ucrânia, inclusive pela inércia e irresponsabilidade do governo brasileiro”, disse Júlio.