População ainda teme por tragédia em Barão de Cocais

Na próxima quinta-feira (27) completa um mês desde a visita da CPI de Brumadinho ao município de Barão de Cocais, a 100 quilômetros da capital Belo Horizonte, onde a Barragem Sul Superior – Mina de Gongo Soco, da Vale, ameaça desabar a qualquer momento. Na época, o deputado federal Júlio Delgado (PSB) fez um sobrevoo de helicóptero na estrutura e promoveu uma audiência pública. Neste encontro, o parlamentar, acompanhado de outros colegas deputados, membros da CPI, teve a oportunidade de ouvir as demandas da comunidade que ainda convive com o temor de mais de rompimento do talude, a qualquer momento.

“A atividade da CPI em Barão de Cocais não terminou naquele dia 27 de maio. Na verdade, colhemos uma série de depoimentos e provas que fortaleceram ainda mais as atividades que estamos desenvolvendo no Congresso, em Brasília. Além de inúmeros requerimentos, cobrando explicações à Vale e a outras autoridades, reforçamos, através dos depoimentos, a necessidade de rever a legislação que rege a exploração mineral no país”, disse Júlio Delgado.

Há três semanas, o deputado Júlio Delgado luta para colocar em votação, em Plenário, mudanças em leis específicas sobre a exploração mineral no país. Estas alterações são fruto de um trabalho técnico iniciado no início deste ano, através de uma comissão externa , a qual ele foi relator, que acompanha o caso de Brumadinho.

Entre as mudanças previstas com a aprovação das novas regras, destacam-se:

  • Aperfeiçoar o sistema de licenciamento para garantir mais segurança para a exploração de minério;
  • Incluir obrigações para com os atingidos de rompimentos de barragens;
  • Criar punições exemplares para todos aqueles que agredirem o meio ambiente, as bacias hidrográficas a flora e a fauna no entorno das barragens;
  • Determinar que o Ibama também seja responsável pela fiscalização do setor;

Ele explica que as novas normas, quando aprovadas, poderão dar mais segurança aos moradores do entorno destas estruturas, além de garantir responsabilidades e punições em casos de novos desastres.

”O lobby das mineradoras é enorme, e para vencer esta batalha nós precisamos do apoio de toda a sociedade. Mostrar o que vive a comunidade de Barão de Cocais é, também, uma forma de sensibilizar os colegas congressistas sobre a necessidade de revisão destas leis. Não queremos o fim da exploração mineral no país, até mesmo porque Minas precisa destas arrecadações. Mas é evidente que faltam empenho e responsabilidade destas empresas ao garantirem a proteção e o bem-estar da sociedade a qual elas estão inseridas.”