Onça-pintada marca primeiro mês do Jardim Botânico de Juiz de Fora

O Jardim Botânico de Juiz de Fora completou um mês de inauguração, na última semana, repleto de histórias que, certamente, serão lembradas por gerações.

A mais comentada delas, sem dúvida, foi o aparecimento de uma onça-pintada na área do Sítio Malícia, onde está o jardim, dia 25 de abril. Com cerca de 1,80m de comprimento, 51 quilos e por volta dos quatro anos de idade, o macho adulto forçou a UFJF a proibir a visitação do público, além de ter mudado totalmente a rotina da cidade.

O felino, uma espécie rara e em processo de extinção, foi capturado no último domingo (12.05) por uma equipe de especialistas da Universidade e biólogos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Minutos antes, foi destaque do programa Fantástico, da TV Globo.

A mais nova “celebridade” de Juiz de Fora foi encaminhada a um espaço seguro em Minas Gerais, afastado centro urbano. O local não foi divulgado por medidas de segurança – para proteger o próprio animal de caçadores.

Se inicialmente a notícia foi vista com preocupação por juiz-foranos, por se tratar de um animal selvagem e que representa um certo risco à população, gradativamente foi ganhando força o entendimento que a presença do “onço” no local, mesmo que de passagem, foi positiva.

Para o deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG), o surgimento dela comprova a riqueza da Mata do Krambeck em Juiz de Fora, um fragmento de Mata Atlântica que corresponde a 269 campos de futebol (mais de um terço deles pertencente ao Jardim).

Quem corrobora este entendimento é o maior especialista deste felino no país, o biólogo Leandro Silveira que, em entrevista ao jornal Tribuna de Minas disse que ”onde tem onça-pintada existe boa qualidade ambiental.”

Saldo positivo

O deputado reitera o que vem defendendo, há mais de dez anos, de que “a conservação daquele espaço é fundamental para a qualidade de vida na região”.

Neste período, ele travou uma verdadeira batalha contra os interesses do setor da construção civil que queria fazer do Local um condomínio de alto padrão.

“Não poderíamos deixar de garantir esta proteção. Já naquela época não faltaram parlamentares dispostos a contribuir para esta causa”, recorda.

Júlio Delgado conquistou mais de R$ 5,3 milhões em emendas parlamentares destinadas à compra do espaço onde o jardim foi instalado, sendo R$ 3,5 milhões disponibilizados do próprio gabinete.

Visitação
No curto período em que o Jardim Botânico esteve aberto ao público, o espaço se tornou parada obrigatória da população e de escolas das redes pública e particular do município e de outras cidades da região.

Agora, a expectativa da UFJF, responsável pela administração do parque, é de que o Jardim Botânico seja reaberto o mais breve possível.