Júlio conversa com Mandetta sobre crise do coronavírus

 

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi o convidado do deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG) em sua live semanal no Instagram (@depjuliodelgado). A conversa ocorreu nesta quarta-feira (10.06), entre 18h e 19h, e o assunto central foi a pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Além das ações adotadas durante sua gestão no Ministério da Saúde, Mandetta opinou sobre o momento presente da pandemia no País. Ele apontou falhas da atual gestão da pasta, sob comando do general Eduardo Pazuello, e comentou que técnicos remanescentes no órgão relataram sentir vergonha por serem submetidos a decisões absurdas, diariamente.

Mandetta alertou que o pior momento do Brasil poderá ocorrer de forma regionalizada, à medida que a contaminação avança para o interior.

Transparência das ações diminuiu

Na semana passada, por exemplo, o governo decidiu divulgar dados sobre o avanço da pandemia, atualizados, após as 22h. E apenas com a contagem de mortes confirmadas nas últimas 24 horas. Ou seja, excluindo a informação sobre os óbitos ocorridos anteriormente, retirando as confirmações recentes a cerca da causa da morte (por Covid-19) nas estatísticas.

“Uma bagunça!”, classificou o ex-ministro sobre o episódio do novo formato de divulgação. “Isso deu margem para a sociedade se organizar e criar iniciativas à parte da contagem oficial do Governo Federal. Ocorreu na própria imprensa e no Legislativo”, disse.

Delgado lamentou as mudanças e elogiou as coletivas realizadas por Mandetta, que haviam se tornado populares. “O Brasil parava para te acompanhar, para se basear no isolamento. Aquilo era balizador. Baliza que a gente tinha do Governo e, de repente, perdemos esta referência”, comentou.

Ministro da Saúde desde o início do mandato de Jair Bolsonaro, Mandetta se tornou nacionalmente conhecido durante a pandemia, principalmente pela transparência das ações. Todos os dias, às 17h, ele e técnicos da pasta promoviam uma coletiva onde apresentavam os dados atualizados da evolução da Covid-19. Tal iniciativa se perdeu após sua saída, momento em que houve redução significativa da transparência das ações no Ministério.

Mandetta fala do SUS

A importância do Sistema Único de Saúde (SUS) foi destacada por Júlio e Mandetta durante o bate-papo. O deputado mineiro lembrou que em muitos países até de primeiro mundo, onde a saúde pública é inexistente, pessoas morreram por falta de atendimento adequado.

Mandetta reafirmou em suas falas que, sem o SUS, o Brasil viveria uma tragédia. “Diferentemente de muitas epidemias, essa começou dos ricos para os pobres. E 83% dos brasileiros são dependentes SUS. Felizmente conseguimos aumentar a capacidade e dar o atendimento adequado, embora ainda existam problemas pontuais, como os ocorridos em Manaus e Belém, por exemplo.

Mandetta relembrou o apoio recebido de alguns parlamentares, dizendo que foi essencial no início da crise para a destinação de recursos de emendas para a saúde pública dos municípios. Nesse ponto, agradeceu o empenho do deputado Júlio Delgado por, prontamente, ter atendido aos pedidos do Ministério da Saúde para a destinação dos recursos que poderiam ser indicados através do gabinete. “O SUS sai fortalecido.”

De acordo com Júlio, a crise deixará um grande legado que é o de discutir, finalmente, a questão do financiamento público de saúde no Brasil, hoje com verba limitada em razão da Lei do Teto de Gastos.

“Defendi sempre a derrubada deste teto para a saúde”, reforçou o deputado. Mandetta também recordou que desde o governo Collor, a Saúde perdeu percentualmente recursos no orçamento da União. “O Congresso nos deve esta discussão.”

 

Papo de 6ª

O “Papo de 6ª”, live semanal do deputado Júlio Delgado e que, nesta semana, ocorreu excepcionalmente na quarta-feira, é um mecanismo adotado pelo parlamentar mineiro para prestar contas do mandato e discutir a política do Brasil em momentos de isolamento social. Os encontros, corriqueiramente com convidados, acontecem no Instagram @depjuliodelgado.