Júlio quer incluir lúpus e artrite reumatoide no rol de doenças raras

O deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG) protocolou na Câmara Federal na última sexta-feira (10.04) projeto de lei que pretende incluir o Lúpus Eritematoso Sistêmico e a Artrite Reumatoide Juvenil e Crônica na relação de enfermidades assistidas pela Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras. A política, dentre outras diretrizes, prevê melhorar o acesso dos doentes aos serviços de saúde e à informação científica a respeito das doenças; reduzir a incapacidade causada pelos sintomas e contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas acometidas por elas.

São consideradas doenças raras aquelas sem cura, atualmente, e que atingem 65 a cada 100 mil pessoas. No Brasil, a estimativa do Ministério da Saúde é que pelo menos 15 milhões de brasileiros tenham doenças desse tipo. Em Minas são cerca de 1,5 milhão de habitantes. Projeto de Lei A proposta apresentada segue na linha da política, somada a preocupação de garantir acesso facilitado aos medicamentos com base em substâncias específicas, via Ministério, necessários ao tratamento dos acometidos das doenças indicadas. Dentre elas, a cloroquina.

Por estar associada junto a outros antirretrovirais no tratamento do novo coronavírus, a cloroquina – e produtos derivados – teve grande procura ao ser associada ao tratamento da Covid 19, e sumiu das prateleiras. A eficácia, no entanto, ainda está em estudos e não foi comprovada pela ciência médica.

“Não temos números exatos, mas estima-se que apenas o lúpus acometa cerca de 65 mil pessoas no país, na maioria mulheres. Estes pacientes, da noite para o dia, ficaram sem conseguir comprar a medicação, fato que nos motivou a apresentar a proposta que garantirá, via Ministério da Saúdem, a ampla distribuição da cloroquina”, disse Júlio.

 

Conheça a proposta: https://bit.ly/pldoencasraras