Júlio Delgado: um aliado na luta contra o câncer

No dia 8 de abril, foi comemorado o Dia Mundial do Combate ao Câncer. A data foi instituída para conscientizar a população de todo o mundo sobre a importância da prevenção da doença em nossas vidas. Segundo o INCA, o Brasil deve registrar cerca de 600 mil novos casos de câncer por ano em 2018 e 2019. E não podemos deixar para amanhã nossas responsabilidades. Políticas públicas cada vez mais robustas e a atitude de cada um na atenção diária a saúde é o caminho para mudarmos esse quadro.

O deputado Júlio Delgado sempre acompanhou de forma próxima importantes pautas relacionadas à doença e busca se envolver em projetos que beneficiem os brasileiros e que coloquem a saúde da população em primeiro lugar.

Conheça mais sobre a atuação do deputado em relação ao câncer

 

Vacina do HPV: em agosto de 2017, tivemos uma vitória sobre a questão da distribuição da vacina contra o HPV. Na ocasião, o Ministério da Saúde estendeu a aplicação das doses para homens e mulheres entre 15 e 26 anos. Esta é uma demanda  que o deputado acompanha desde 2009, quando solicitou ao governo que a imunização fosse dada, também, ao sexo masculino. Isso porque, se para as mulheres a vacina prevê o câncer do colo de útero, nos homens ela evita dois tipos de câncer, no órgão genital e na garganta. O trabalho continua para a democratização desta vacina e a erradicação do HPV.

Notificação de ocorrências relacionadas ao câncer: recentemente, em março, foi aprovado na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei nº 8.470/17, que torna obrigatórios a notificação e o registro de casos relacionados ao câncer, tanto na rede pública, como na particular de saúde. Ficou estabelecido ainda o prazo máximo de 60 dias para que o SUS inicie o tratamento dos pacientes diagnosticados com a doença. Como já existe no país o Sistema de Informação do Câncer, com a proposta não haveria uma sobrecarga de trabalho para o SUS. No entanto, será possível identificar onde estão os maiores problemas de assistência, diagnóstico, tratamento e prevenção de diversos tipos de câncer. O projeto de lei aguarda análise do Senado.

Câncer de mama: a saúde feminina é outro assunto que sempre está no radar do gabinete de Júlio Delgado.  Quando da ocasião do I Ciclo de Debates Sobre o Câncer de Mama para Parlamentares, realizado pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, o deputado em iniciativa conjunta com outros colegas, solicitou audiência pública sobre o acesso a medicamentos não comercializados no Brasil pela ausência de autorização da Anvisa. O tema é de extrema importância para as discussões sobre os tratamentos inovadores para pacientes em fase metastática pelo Sistema Único de Saúde. Na época, a audiência foi uma realização conjunta da Comissão do Direito do Consumidor (CDC) e da Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF).

Frente Parlamentar de Combate ao Câncer: Júlio também é um dos membros e apoiadores da Frente Parlamentar de Combate ao Câncer. A iniciativa tem o objetivo de levantar o debate sobre melhorias na política oficial de prevenção e tratamento da doença, acompanhando-a de perto. Além disso, a Frente também é um importante movimento para o aperfeiçoamento de nossa legislação e para reforçar parcerias intersetoriais que visem à saúde de todos os que precisam.

Apoio à ASCOMCER: o deputado é um dos maiores apoiadores da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer de Juiz de Fora, a ASCOMCER. Por meio de emendas, desde 2012, foram cerca de R$1.250.00 reais destinados ao excepcional trabalho da instituição para o atendimento de pacientes da cidade e da região.

Ao longo deste período, o dinheiro destinado à instituição já possibilitou a reforma de salas, compra de aparelhos cirúrgicos e modernização do CTI.  “Nós precisamos e dependemos muito dessas emendas para atender melhor a população. Então, para nós, é muito importante contar com essa ajuda pública. Se não fossem elas, nós não teríamos condições de estar sobrevivendo e atendendo aos nossos pacientes. Ficamos muito felizes em saber que existem pessoas da nossa cidade que se preocupam com as nossas instituições e com os nossos pacientes. O nosso muito obrigado de todos da ASCOMCER”, destaca Alessandra Sampaio, presidente da Associação. Saiba mais sobre o trabalho do deputado com a ASCOMCER clicando aqui.

Dados do câncer

O câncer é uma das doenças que mais acometem os brasileiros. Segundos dados do Instituto Nacional do Câncer, o INCA, somente no ano passado, cerca de 500 mil pessoas desenvolveram câncer no Brasil. No mundo todo, a doença ainda é mais assustadora. A cada ano, mais de 12,7 milhões de pessoas são diagnosticadas, enquanto 7,6 milhões morrem vítimas do câncer. O tipo mais comum de câncer é o de pele, seguido do de mama entre as mulheres e do de próstata entre os homens.

Se nenhuma providência for tomada, até 2030, haverá 26 milhões de novos casos de câncer por ano no mundo. Destes, 17 milhões morrerão por ano até a data estipulada. A maior parte dos casos da doença ocorrerá em países subdesenvolvidos. O custo do câncer no mundo à economia global em mortes prematuras e invalidez, sem considerar os custos médicos, foi estimado em US$ 1 trilhão, de acordo com dados do INCA.