Júlio Delgado: sobre os Vazamentos da Lava Jato

Reportagens publicadas no site Intercept.com trazem o vazamento de conversas privadas entre o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores do Ministério Público Federal (MPF), como Deltan Dalagnol. As conversas sugerem orientação do ex-juiz de Curitiba às operações da Lava Jato.

Entendo que é necessário verificar os contextos dos diálogos para uma avaliação mais clara dos fatos. E que de maneira alguma deve-se “satanizar” as instituições públicas brasileiras antes de que seja realizada uma investigação aprofundada.

Também não é correto generalizar atribuindo comportamentos não republicanos à toda classe política do País e muito menos retirar os méritos alcançados pelo trabalho efetivo realizado pela Lava-Jato.

O momento deve ser, sim, de cautela para a apuração consistente dos fatos e seus interlocutores, sem se deixar levar somente pelas especulações ou denúncias presentes nos meios de comunicação e redes sociais de todo o mundo.

Penso que o que deve nortear a investigação é somente a Lei. E o papel dos supostos envolvidos deve ser criticado e julgado à luz da legislação em suas regras e competências previstas nos regimes jurídico-administrativos dos órgãos a que pertencem.

Todo cuidado é pouco, pois o que está em risco é a estabilidade do Brasil.

Júlio Delgado