Júlio Delgado quer saber onde estão os remédios e por que os preços subiram

O deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG) apresentou requerimento, na tarde desta terça-feira (07.07), solicitado informações sobre o aumento dos preços e até o desaparecimento de alguns medicamentos das prateleiras durante a pandemia do novo coronavírus.

O documento, encaminhado ao Ministério da Saúde, pede informações sobre ações de fiscalização sobre o problema identificado. De acordo com o parlamentar mineiro, prefeitos, secretários de saúde e gestores de hospitais têm se queixado das dificuldades em conseguir ter acesso a alguns remédios, seja pela falta na indústria e das distribuidoras, seja pelo sobrepreço.

Na justificativa para apresentação do requerimento, Júlio Delgado citou a Medida Provisória 933, de março de 2020. Neste documento, ficou decidido que os preços dos medicamentos deveriam ser congelados em todo o território nacional por 60 dias. “Mas durante este período de suspensão do reajuste, os medicamentos sumiram, comprometendo tratamentos de pacientes oncológicos, cardíacos, nefrológicos, reumatológicos, musculares, entre vários outros. Sem contar a denúncia, já apresentada inclusive pela imprensa nacional, da dificuldade em obter sedativos para pacientes internados ou em procedimentos cirúrgicos”, disse Júlio Delgado.

Sobre os valores inflacionados, anexo do requerimento apresentado por Júlio cita, por exemplo, a amoxicilina de 1g, que inclusive está em falta no mercado. Em março, a droga era vendida por aproximadamente R$ 7,90, enquanto que, entre abril e julho, chegou a ser encontrado por até R$ 20,50.

“A gente está vivendo uma enorme crise de saúde pública, com reflexos imediatos na economia do País. Neste cenário, não podemos aceitar que as pessoas, sobretudo as mais carentes, tenham dificuldade em acessar tratamentos pela falta de remédios. Por isso queremos saber como o Ministério da Saúde está agindo para coibir abusos e excessos”, pontuou o deputado.

O requerimento pode ser acessado neste site.