Demissão de Moro: PSB pedirá impeachment de Bolsonaro

O PSB Nacional, por meio de sua bancada na Câmara Federal, ingressará com pedido formal de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro após graves revelações do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, durante coletiva em que anunciou sua saída do Governo, na manhã desta sexta-feira (24.04).

Além do pedido de instauração de processo no âmbito político, foi feita também uma representação à Procuradoria Geral da República (PGR) para que o presidente seja denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por crime comum.

O pedido de demissão do ex-juiz federal Sérgio Moro ocorreu no mesmo dia da publicação da demissão do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, no Diário Oficial da União. O ministro Moro indicou haver reiteradas tentativas de interferências políticas na PF e elencou episódios em que o presidente supostamente teria agido contrário à Lei.

Dentre os possíveis crimes cometidos por Bolsonaro estariam Advocacia Administrativa, previsto no artigo 321 do Código Penal, uma vez que o presidente pretendia acionar relatórios da inteligência, acessando investigações em andamento pela Polícia Federal. Outro seria falsidade ideológica, uma vez que o ministro afirma não ter assinado a demissão de Valeixo, assim como o próprio não teria feito o pedido.

“Coletamos a assinatura de 22 dos 30 deputados da bancada do PSB na Câmara para este pedido de impeachment. O fato ocorrido hoje é grave e, se confirmado, demonstra que ele cometeu crimes, não apenas de responsabilidade, mas também crimes comuns ao usar a assinatura eletrônica do ministro em decisão que ele não participou”, disse Júlio.

PSB também quer CPI

Outra iniciativa do Partido é a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com objetivo de investigar as revelações de Sérgio Moro e o eventual uso do cargo, por parte de Jair Bolsonaro, de interferir em investigações criminais. A coleta de assinaturas foi iniciada também nesta sexta-feira (24.04).