Carta aberta sobre uso de verba indenizatória

Caros amigos,
Recentemente, um blog de política publicou um ranking com gastos parlamentares com a locação de veículos. Fico muito tranquilo para falar sobre o assunto, pois quem me conhece sabe de minha seriedade e o quanto prezo pela legalidade e respeito aos que têm me confiado o mandato todos esses anos.

Atualmente, possuo dois veículos locados: um em MG (Corolla 2018) e outro em Brasília (Ford KA Sedan 2018). Uso ambos para cumprir as agendas do Congresso Nacional e demais atividades parlamentares. Para meus compromissos e viagens pessoais utilizo meu próprio veículo.

De quinta à segunda sigo viajando entre Belo Horizonte e Juiz de Fora (cerca de 523km dia e volta), além dos percursos que faço pelos municípios da região da Zona da Mata. Isso, fora as viagens programadas pelo Centro, Sul e demais localidades do Estado.

Vale destacar que meus gastos com aluguel de carro (apontados pelo Blog) se referem a todo o semestre, estão na média dos demais parlamentares que vivem fora da capital da República e dentro da cota permitida pela Câmara Federal, ou seja, não há nenhuma ilegalidade.

Tenha certeza que os valores desembolsados viram demandas, que se tornam ações, propostas e iniciativas para a Saúde, Infraestrutura, Segurança, e todas as demais áreas essenciais à população de Minas e do País.

O contribuinte tem todo o direito de saber como uso os recursos públicos – todas as despesas do mandato são divulgadas, periodicamente, no Portal da Transparência.

PS: Dispositivo da Câmara dos Deputados definiu que os veículos alugados devem ser substituídos, anualmente. A medida visou garantir o uso correto dos recursos, já que foram descobertos casos de parlamentares que adquiriam os automóveis com dinheiro público em vez de alugar, apresentando “contratos de gaveta” para justificar a despesa.

 

Júlio Delgado