Perfil

 

Júlio Delgado – uma vida dedicada ao povo

Júlio César Delgado nasceu em Juiz de Fora, cidade localizada na Zona da Mata do Estado de Minas Gerais, no dia 18 de novembro de 1966. Em 1985, começou o curso de Direito na Universidade Federal de Juiz de Fora. Em 1991, mudou-se para Brasília, para trabalhar como assessor parlamentar na Câmara dos Deputados ao mesmo tempo em que se especializou na Pós-Graduação em Processo Legislativo na Universidade de Brasília – UnB.

Em 1994, em Juiz de Fora, disputou sua primeira eleição como candidato a deputado federal. Apesar de não ter conquistado a vaga, a boa performance eleitoral e a experiência acumulada como assessor parlamentar foram responsáveis pelo convite para assumir o cargo de Secretário-Adjunto da Secretaria do Trabalho e Assistência Social do Estado de Minas Gerais, onde ocupou a Presidência do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente e organizou a 1ª Conferência de Minas Gerais da Assistência Social.

Em 1995, fez o curso de Administração de Fundos de Pensão promovido pela Organização dos Estados Americanos – OEA, em Santiago, Chile. Deixou o cargo no governo mineiro em 1998 para entrar na disputa por uma vaga na Câmara Federal, terminando o pleito como suplente. Assumiu pela primeira vez o mandato de deputado federal em setembro de 1999, consolidando-se como uma liderança emergente na cidade e no Estado de Minas Gerais.

Nas eleições de 2002, conquista a cadeira na Câmara Baixa eleito pelo PPS – Partido Popular Socialista. Foi escolhido pelos companheiros de bancada para exercer a função de líder do partido na Câmara durante o ano de 2004. Após uma atuação incisiva, corajosa e muito elogiada, deixou a liderança e o próprio partido por discordar dos rumos adotados pela agremiação. Seguiu, com um grupo expressivo de parlamentares, para o PSB – Partido Socialista Brasileiro.

Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados de 2003 a 2006, foi convidado a presidir, em 2005, o mais importante processo de cassação de direitos políticos da história do Conselho. Ao longo de 11 meses, investigou o esquema de corrupção que envolvia políticos e empresários, elaborando um relatório que culminou na cassação por quebra de decoro parlamentar do ex-deputado federal José Dirceu. Além disso, em 2014, foi relator do processo contra o deputado André Vargas, no Conselho de Ética da Câmara, pedindo a cassação do parlamentar.

Em 2006, o parlamentar foi mais uma vez reconduzido à Câmara Federal, sendo o único deputado federal de Minas Gerais eleito pelo PSB. Ao longo de seus mandatos, tem participado de importantes Comissões Legislativas: Constituição e Justiça, Trabalho, Relações Exteriores e Defesa Nacional, sendo Vice- Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor – e representado o Congresso Brasileiro em missões internacionais ligadas à preservação do meio ambiente, trabalho, processo legislativo e implantação do Parlatino – Parlamento Latino Americano.

Em eleição realizada pelo site político Congresso em Foco no ano de 2007, Júlio Delgado foi considerado o melhor deputado federal de Minas Gerais e o único mineiro a figurar entre os 30 melhores deputados da Câmara Federal. Foram ouvidos 188 jornalistas dos grandes jornais e revistas do País, órgãos de comunicação públicos e a agência internacional de notícias Reuters.

No final de 2009, Júlio foi novamente eleito o melhor parlamentar de Minas Gerais e o 8º deputado federal mais atuante do Brasil, na opinião dos jornalistas políticos de Brasília e dos internautas de todo o país, que participaram do prêmio promovido pelo site Congresso em Foco.

Em 2011, foi eleito novamente a deputado federal, bem como em 2015, completando seu quinto mandato. Continua trabalhando com seriedade e competência, focando sempre na transparência, incluindo mais voz e força no Conselho de Ética da Câmara. Neste ano, se tornou membro da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, que investigou as graves denúncias de corrupção na estatal.

Em 2015, o deputado se tornou membro titular da CPI dos Fundos de Pensão, destinada a investigar indícios de aplicação incorreta dos recursos e de manipulação na gestão de fundos de previdência complementar de funcionários de estatais e servidores públicos, ocorridas entre 2003 e 2015, e que causaram prejuízos vultosos aos seus participantes. Neste ano, foi indicado, pela segunda vez, ao Prêmio Congresso em Foco e recebeu 128 votos da votação feita pela internet. O Prêmio homenageia os melhores parlamentares de cada ano. Também recebeu a Medalha Ordem do Mérito Naval pela Marinha do Brasil.

Em 2016, o deputado foi indicado pela quarta vez pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) como um dos parlamentares mais influentes do Congresso Nacional; é membro titular do Conselho de Ética, e trabalhou de forma efetiva ao longo do ano para que Eduardo Cunha fosse afastado do cargo; apresentou requerimentos de melhorias envolvendo a franquias de internet, solicitou informações sobre repasses de combate à H1N1 e ainda continua na luta para debater o acesso a medicamentos não comercializados no Brasil pela ausência de autorização da Anvisa, como o canabidiol.

Júlio é autor de diversas proposições voltadas para saúde, educação, visando o avanço social da cidade, estado e país. Além disso, é responsável por emendas parlamentares de destaque destinadas às melhorias na cidade de Juiz de Fora, região e estado.

Seu pequeno tempo livre é dedicado à família e aos amigos fraternos. Casado com Luciana Moreira Borges, Júlio Delgado é pai de Mateus e de Vinícius.