Júlio Delgado busca esclarecimentos sobre febre amarela em Minas Gerais

O deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) fez, no final de fevereiro, um requerimento de informações ao Ministério da Saúde solicitando esclarecimentos sobre os casos de febre amarela confirmados em Minas Gerais.

Dentre os principais questionamentos abordados pelo deputado estão os valores disponibilizados para o enfrentamento da doença nos últimos três anos; a previsão, o planejamento e a execução das ações de vacinação contra a doença; e qual é, atualmente, a distribuição geográfica dos focos da Febre Amarela e quais medidas já estão sendo tomadas para erradica-la.

Por lei, o Ministro Ricardo Barros tem até 30 dias para responder aos questionamentos, mas até o momento, nenhuma dúvida foi sanada. “Estamos acompanhando este assunto com muito cuidado e, a partir das respostas fornecidas pelo ministério, poderemos atuar melhor em ação conjunta para combater doença”, afirma Júlio Delgado.

Os primeiros sintomas da doença aparecem como febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça e muscular, náuseas e vômitos. A febre amarela é transmitida em meios urbanos pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo transmissor da dengue. Quem já possui duas doses da vacina contra febre amarela em um intervalo de pelo menos dez anos garante a proteção por toda a vida.

A melhor forma de prevenção ainda continua sendo o combate ao mosquito, evitando o acúmulo de água parada em recipientes como caixas d’água, pneus, pratinhos de plantas e latas. Um ambiente livre de água para é um ambiente seguro contra a febre amarela.